Doenças coronarianas

A periodontite severa pode funcionar como mais um dos vários fatores de risco que levam a um paciente apresentar doenças coronarianas, principalmente quando a lesão é associada a presença de placas ateroscleróticas. Basicamente existem 2 hipóteses patogênicas, sendo: (1) a liberação de lipopolissacarídeos de bactérias gram negativas na corrente sanguínea, e (2) uma hiperfunção de monócitos. De acordo com Kinane (1998), monócitos aderem e penetram no endotélio durante os estágios iniciais da formação das placas ateroscleróticas, ajudados por moléculas de adesão e citoquinas. A tivação desses monócitos pode ocorrer em função da presença de LDL oxidado, transformando-os em macrófagos. Os macrófagos fagocitariam LPS e/ou produtos bacterianos elevando a taxa enzimática na placa aterosclerótica, podendo causar trombose e/ou crescimento das placas por liberação fatores mitogênicos (PDGF – platelet-derived growth factor).

Filed Under: Associações

Comentários

nenhum comentário

Deixe um comentário

Nome *

E-mail*

Website